SARAU DANTE 700 ANOS

Em homenagem ao sétimo centenário da morte de Dante Alighieri, Bell’Anima Produções vai reunir especialistas na obra do poeta florentino em um sarau especial a ser realizado no dia 05 de junho através do canal da produtora no Youtube.

O Painel de dantólogos contará com falas do escritor e tradutor José Clemente Pozenato, do poeta, escritor, romancista, tradutor e atual presidente da Academia Brasileira de Letras, Marco Lucchesi, e do poeta e ensaísta Armindo Trevisan, além da presença internacional da Dra. Elisabetta Tonello (ITA), doutoranda em Literatura Italiana e especialista na obra de Dante.

O evento apresentará ainda trechos da obra musical inédita “A Paixão de Dante segundo Vagner Cunha, Livro I: Inferno”, peça composta para coro e orquestra e que terá sua estreia mundial em 14 de setembro deste ano, com apoio do Istituto Italiano di Cultura – San Paolo.

O trabalho é resultado da segunda parceria do compositor gaúcho com José Clemente Pozenato, com quem colaborou no desenvolvimento da Ópera O Quatrilho, espetáculo que reuniu quase dez mil pessoas em diversos palcos do Rio Grande do Sul entre 2018 e 2019.

Após ter passado pela experiência de transformar o próprio livro em libreto de Ópera, Pozenato agora trabalha no libreto de “A Paixão de Dante segundo Vagner Cunha”, feito a partir de sua própria tradução sobre texto original de Inferno, primeiro livro que constitui a obra-prima de Dante: A Divina Comédia.

A parceria entre escritor e compositor ainda renderá, nos próximos anos, a continuação do projeto, divido em Inferno, Purgatório e Paraíso. Cada um dos três fragmentos da obra-prima de Dante Alighieri ganhará a publicação de um livro com a tradução de Pozenato, lançados todos em paralelo às obras musicais compostas por Cunha.

Datas e horários
05 junho às 19h00

Link do evento
Canal da Bell’Anima Produções

Organizado por
Bell’Anima Produções

Parceiros
Consolato Generale d’Italia Porto Alegre
Istituto Italiano di Cultura – San Paolo
Camera di Commercio Italiana Rio Grande do Sul Brasile – CCIRS
Fundação Antonio Meneghetti
Antonio Meneghetti Faculdade
Associação Ontoarte

Participantes

José Clemente Pozenato – escritor e tradutor, autor do romance homônimo O Quatrilho. Além deste título, possui uma vasta publicação de novelas e contos de ficção. Como tradutor, foi responsável pela tradução da obra integral de O Cancioneiro, de outro monumental poeta italiano, Francesco Petrarca.Pozenato é membro da Academia Sul-Brasileira de Letras.

Marco Lucchesi – Poeta, escritor, romancista, tradutor, professor da UFRJ e atual presidente da Academia Brasileira de Letras. Possui 3 Jabutis, além de diversos prêmios internacionais. Suas obras foram traduzidas para mais de dez línguas. Doutor Honoris Causa pela Universidades de Timisoara e pela Universidade Aurel Vlaicu, além de ter recebido o título de Commandante dell’Ordine della Stella da República Italiana.

Armindo Trevisan – poeta, ensaísta, filósofo, historiador e estudioso da obra de Dante Alighieri, Armindo Trevisan ingressou com distinção na carreira literária ao obter, com “A Surpresa de Ser”, em 1964, o Prêmio Nacional de Poesia Gonçalves Dias, pela mão de Comissão Julgadora constituída por nada menos que Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira e Cassiano Ricardo. Com extensa contribuição literária, Trevisan agora se dedica a estudar a obra de seu maior ídolo e este ano publica seu mais novo estudo: “Por uma leitura atual da Divina comédia, de Dante Alighieri”, pela editora AGE.

Elisabetta Tonello – Doutora em Literatura Italiana e dantista, Dra. Tonello possui dois livros, quatro monografias e mais de 17 artigos com registros de seus estudos sobre a obra de Dante Alighieri. Atualmente trabalha coletando testemunhos sobre “A Comédia”, pesquisando os problemas da prática ecdótica ligados à tradição do texto e estudando os manuscritos de Dante preservados em Berlim (Staatsbibliothek) e em outras bibliotecas alemãs.

Sobre o compositor Vagner Cunha
Sem deixar de usar do melhor de sua formação clássica, o compositor Vagner Cunha transita em diversos gêneros e sonoridades para trazer à sua música originalidade e identidade. Nos últimos quatro anos, sua intensa produção integra seis discos e uma ópera, além de diversos trabalhos paralelos como arranjador e violinista. Suas composições têm sido estreadas por diversas orquestras e grupos de câmara brasileiros, com destaque para o Concerto para Violino Nº1, Concerto para Viola, Concerto para Violão de 7 cordas, o Concerto para Piano e Orquestra Sinfônica, Ballet Mahavidyas e Aleph. Sua obra autoral está nos discos Mahavidyas (2008), Além (2012), Variações São Petersburgo (2016), Vagner Cunha convida Guinga (2017), Los Orientales (2017), Yamandu Costa interpreta Concerto para Violão de 7 cordas e orquestra (2018), além de dois discos dedicados a poemas de Antonio Meneghetti, interpretados pela Camerata Ontoarte e Carla Maffioletti (2015 e 2017). Recebeu sete vezes o Prêmio Açorianos e, em 2011, o Prêmio FUNARTE de Composição. Atualmente é diretor musical da Camerata Ontorte Recanto Maestro – para a qual compõe regularmente em diversas formações camerísticas. Suas mais atuais obras, Concerto para Oboé e Concerto para Acordeon e Orquestra, este último dedicado ao acordeonista Bebê Kramer, tem suas estreias marcadas para o primeiro semestre de 2022. Nas palavras do crítico Juarez Fonseca, “Vagner é um desses artistas raros; gênio. Nos anos 2000, são extensas e sólidas as contribuições dele para a música brasileira, erudita e popular, como compositor, arranjador e violinista. Unindo os três ‘quesitos’, ninguém chegou tão alto em qualificada efetividade.”